Tocantins receberá nova ferramenta de Perícia que ajuda a esclarecer homicídios; Perita Oficial fala sobre adequações no Núcleo de Balística e importância do equipamento

09/05/2022 17/05/2022 14:38 124 visualizações

Da Ascom

O Laboratório do Núcleo Especializado de Balística Forense do Tocantins passa por reforma e adequações com o objetivo de receber até o final deste ano, o recém-adquirido programa canadense capaz de fazer imagens microscópicas de vestígios coletados em cenas de crime, que permite a Polícia Científica extrair o ‘DNA da bala’. Por meio deste sistema, duas partes da munição podem ser comparadas pela Perícia, de forma automatizada: os projéteis, que saem pelo cano da arma, e os estojos, que são ejetados pela parte traseira das pistolas após os disparos.

A Perita Oficial Criminal, Valéria Viana Barbosa, lotada no Núcleo Especializado de Balística Forense do Tocantins explica sobre o processo de aquisição e instalação do sistema no Estado do Tocantins. ‘Nós estamos com um projeto de reestruturação física, logística e de gestão, do Núcleo Especializado de Balística Forense. As obras para reforma do nosso laboratório já foram iniciadas, e elas foram baseadas em um projeto elaborado pela Superintendência de Polícia Científica, o qual atende aos requisitos exigidos pelas normas da ABNT e àquelas estipuladas pela Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública), em especial no tocante à segurança para manipulação de vestígios contaminantes e armas de fogo e munições’, explica a Perita.

‘A Senasp fará uma visita técnica em julho ao nosso laboratório, e a previsão é que até o final do ano nós já tenhamos recebido o novo sistema. Nosso laboratório de balística está sendo reformado, porque essa é uma das exigências para que o enviem, e somente após isso é que poderemos receber a visita técnica, que irá julgar se atendemos aos requisitos’, afirmou.

Apoio da SSP-TO

Sobre os preparativos para a aquisição do novo sistema, Valeria disse que a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/TO)             ‘está dando todo o suporte para o cumprimento dessas metas, e também para a aquisição de outros equipamentos que irão subsidiar os exames periciais, e junto a isso, a Superintendência de Polícia Científica, a Diretoria do Instituto de Criminalística e o próprio Núcleo Especializado de Balística Forense estão com estratégias alinhadas, para implementação de uma gestão de resultados, para com isso conseguirmos atender de forma satisfatória as exigências do Sinab (Sistema Nacional de Análise Balística) e propiciar aos profissionais que atuam neste setor toda a segurança e motivação necessárias para o desempenho de suas atribuições”, disse.

Segundo a Perita, ‘após a visita técnica dos representantes da Senasp, e em sendo atendidos todos os critérios exigidos, a expectativa é que até o final deste ano os equipamentos sejam entregues e possamos começar a operá-los. A ideia do Sinab é essencialmente reduzir a assimetria entre as unidades federadas em termos de tecnologia, métodos e procedimentos para realização de exames periciais de balística forense, e de maneira especial, permitir a criação de um banco de dados de caráter nacional, visando a investigação de crimes envolvendo esses vestígios (armas de fogo, munições e seus elementos), possibilitando assim a realização de correlações’, pontuou.

Ainda conforme a Perita Oficial, ‘os peritos criminais e servidores do NEBFO estão todos engajados neste processo, e tão logo sejam entregues os equipamentos e concluídos os treinamentos necessários para sua operacionalização, as metas serão direcionadas para a inserção dos dados no sistema e para uma atuação ainda mais efetiva no combate à criminalidade’, finalizou Valeria.