Com a participação de Perita do Tocantins, ABC aprova novo Código de Ética da Perícia Oficial Criminal; Sindiperito avalia como um avanço para a categoria

12/05/2022 17/05/2022 16:18 176 visualizações

Da Ascom

Já está em vigor o novo Código de Ética da Perícia Oficial Criminal Brasileira aprovado em março deste ano com a participação de Peritos de vários Estados e assinado pelo presidente da ABC - Associação Brasileira de Criminalística, Leandro Cerqueira Lima. O documento enuncia os fundamentos éticos e relaciona os direitos, deveres e proibições a serem considerados no âmbito da Perícia Oficial de Natureza Criminal do País. A Perita Oficial Dunya Wieczorek Spricigo, do Tocantins, participou do grupo de estudos sobre as alterações do novo Código de Ética e Conduta da categoria e comenta as mudanças.

Dunya relata que “a primeira versão do Código de Ética foi publicado em 1981, no VI Congresso Nacional de Criminalística, ocorrido em Salvador (BA), durante a gestão do Dr. Willian Arruda Ramos da Silva. A última alteração foi realizada em 1987, em São Paulo e publicado pela gestão da ABC de 2013/2014”, afirma a Perita.

A Perita conta que, ‘nesta versão atualizada, participaram dos estudos peritos oficiais de vários Estados (entre membros da ABC e representantes de entidades de classes), acrescentando artigos sobre temas ainda não abordados e atualizando algumas condutas que devem ser evitadas na atuação profissional dos Peritos Oficiais, tanto ativos quanto inativos’, destaca.

Dunya ressalta ainda, que, ‘outro ponto importante abordado nesta nova versão, é a proteção das entidades que representam a classe, e em especial a ABC, com fim de evitar obtenção de vantagens pessoais por parte de seus membros. Essas alterações e inclusões aprovadas tornam a ABC cada vez mais forte e demonstra a preocupação com a categoria e com a Polícia Científica’, garante a Perita.

Já o presidente do Sindicato dos Peritos Oficiais do Tocantins (Sindiperito), Silvio Jaca, avalia a aprovação do novo Código de Ética da categoria como um avanço para a classe. ‘É um avanço para a Perícia, pois deve nortear a atuação dos Peritos Oficiais Criminais em todo o Brasil, sempre se baseando pelo cumprimento tanto das leis vigentes quanto primando pela ética profissional e a moralidade no exercício da profissão’, avaliou o presidente.