Polícia Científica atua em operação conjunta que resultou na apreensão de várias armas, um explosivo e morte de assaltante à bancos em vários estados

24/06/2022 30/06/2022 15:13 79 visualizações

Da Ascom

A Polícia Científica do Tocantins atuou em uma operação conjunta entre as polícias Civil e Militar que resultou na apreensão de várias armas, um explosivo e munições que estavam em poder de Gewides Moreira dos Santos vulgo ‘Cocheba’, de 49 anos, conhecido nacionalmente por envolvimento em diversos roubos a bancos nos estados da Bahia, Goiás, Pará e Tocantins na modalidade ‘novo cangaço’. O criminoso reagiu à ação da polícia, foi alvejado e socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu momentos depois de receber atendimento médico.     

A operação ocorreu na manhã dessa quarta-feira, 23, na zona do rural do município de Peixe, localizado na região Sul do Tocantins e a Polícia Científica esteve no local onde realizou todos os trabalhos pertinentes a coleta de provas, dos ilícitos apreendidos e dos fatos e encaminhou o material para a Central de Flagrantes para as providências cabíveis. 

A ação conjunta que uniu agentes da 8ª DEIC - Gurupi e do BOPE, ocorreu depois que o setor de inteligência da PM-GO repassou informações as polícias do Tocantins de que o criminoso suspeito de envolvimento em diversos roubos a bancos pelo País estaria na zona rural de Peixe de posse de armas de fogo e outros instrumentos utilizados na referida prática criminosa. 

Após dias de diligências, as quais contaram com o apoio do BPMA - Gurupi, os policiais identificaram que Gewides utilizava um rancho na zona rural de Peixe e nessa quarta-feira, no momento em que se deslocava em um veículo foi abordado nas imediações pelas equipes, instante em que reagiu à ordem policial efetuando disparos de arma de fogo. Em contrapartida, as equipes revidaram a injusta agressão alvejaram o envolvido, o qual foi imediatamente socorrido e encaminhado ao Hospital de Peixe, mas, não resistiu e veio a óbito. 

Armas apreendidas

Em posse de Gewides, foram encontrados um fuzil calibre 7,62,  uma pistola calibre .40, vinte e seis munições calibre 7,62, doze munições calibre .40, e um explosivo do tipo emulsão encartuchada envolvida em cordel detonante. 

Ainda em 2013 Gewides foi preso na Bahia, juntamente com outros três indivíduos, de posse de um fuzil Barret .50 e quatro fuzis calibres 7,62 e 5,56 após praticarem pelo menos cinco roubos à banco no sertão baiano. Posteriormente esteve envolvido em outros diversos roubos a instituições financeiras no Goiás, Pará e Tocantins, sendo preso duas vezes em Gurupi nos anos de 2017 e 2018, por mandados de prisão decorrentes de roubos e em flagrante por posse ilegal de arma de fogo e uso de documento falso.  (Com informações da SSP-TO).